Entenda como planejar e realizar exportações de produtos

by redator 0 Comments
Entenda como planejar e realizar exportações de produtos

A transposição de fronteiras é um passo bastante importante para empresas que buscam o crescimento de produtos, principalmente quando o cenário econômico interno não está favorável.

A busca por parceiros comerciais no exterior, com a exportação de produtos nacionais, é um passo fundamental para elevar o patamar de um negócio, e é possível por qualquer tipo de empresa, independentemente do porte.

Entretanto, não basta contratar transportadoras em SP capital apenas. Trata-se de uma operação que requer bastante planejamento e o conhecimento das normas e legislações envolvidas. Também é necessário conhecer ao máximo o mercado em que o negócio está inserido, e saber os riscos e vantagens das operações.

Um exportador de sucesso não tem apenas um produto de qualidade com preço atraente, mas sabe lidar com toda a logística envolvida, tem disposição para os processos burocráticos e capital para lidar com os negócios.

No caso de empreendimentos menores, a avaliação de riscos para a exportação é ainda mais importante, porque investimentos errados podem render muitos prejuízos e até comprometer a sobrevivência da empresa.

Como planejar a exportação?

Antes de iniciar o processo de exportação, uma dica é visitar feiras internacionais de negócios e buscar informações sobre acordos internacionais que envolvem o Brasil, como uma forma de diminuir encargos.

Porém, mais do que isso, é necessário avaliar o mercado do país para o qual os produtos serão exportados. É imprescindível atentar-se para legislações, normas sanitárias e hábitos de consumo.

Outras dicas para saber se o produto está adequado para o mercado estrangeiro são:

  • Identificar os consumidores dos produtos;
  • Pesquisar concorrentes, detalhes sobre produtos, preços;
  • Descobrir como é o consumo do produto;
  • Entender por qual preço o produto costuma ser vendido;
  • Entender as embalagens, que informações contém e em quais línguas.

É essencial que o produto tenha diferenciais, seja no preço ou na inovação, para ter capacidade de disputar com produtos locais e outros já importados. A empresa também precisa estar com as finanças equilibradas.

Os gestores devem conhecer suas capacidades produtivas, ter um bom capital de giro e reservas para novas despesas.

A precificação correta do produto também é fundamental, pois é um fator determinante para a sua competitividade no outro país e a sobrevivência da empresa no mercado externo.

O preço não deve levar em conta apenas custos de produção, mas também taxas alfandegárias e portuárias, seguro de mercadoria, câmbio, custos cobrados pela transportadora.

A exportação também pode ser feita de maneira direta ou indireta. Na exportação direta, todos os negócios e processos são de responsabilidade da empresa, enquanto que na indireta, empresas comerciais exportadoras ou agentes do comércio exterior servem como intermédio.

Como realizar a exportação de produtos?

Para iniciar as exportações, a empresa precisa de um Registro de Exportador. A habilitação de radar para importação permite que pessoas físicas e jurídicas realizem as operações relativas ao SISCOMEX (Sistema Integrado de Comércio Exterior), mediante a aprovação de documentos referentes ao exportador e aos contratos de exportação.

Os processos de entrada e saída dos itens pelas alfândegas são burocráticos e podem demorar. Por isso, recomenda-se a contratação de despachante especializado, como uma forma de otimizar os processos, principalmente no início.

O despachante aduaneiro fará a consultoria, desde a classificação dos produtos até a contratação de seguros e preparação dos documentos exigidos durante todo o processo.

Após o pagamento do parceiro no exterior, geralmente feito por carta de crédito, e emissão de todos os documentos necessários, pode ser feito o embarque da mercadoria e o desembaraço na Aduana brasileira.

Vale a pena ressaltar o cuidado necessário com as embalagens, que devem ser resistentes e permitir empilhamentos. Em caso de necessidade de refrigeração, ou cuidados para evitar contaminações, o mais recomendado é a inclusão de marcadores sobre o acondicionamento dos produtos.

Eles são liberados após conferência da Polícia Federal e, para acompanhar a transferência, o mais indicado é a adoção de algum tipo de sistema de rastreamento de carga.

Após a chegada dos produtos, a finalização do negócio deve ser feita observando o melhor momento para operar com as taxas de câmbio.

Pesquisas apontam que 70% das micro e pequenas empresas que conseguem vender para fora do país desistem de continuar exportando.

Mas a informação é um grande diferencial, e seguindo as dicas, principalmente na contratação de um despachante aduaneiro SP, fica mais fácil atingir o sucesso na exportação de produtos.

Leave a reply

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>